Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

Sindrome X - Frágil - Estudo de Caso (número 6)

2.4 – Comportamento adaptativo

A área de maior desenvolvimento das crianças deficientes é a do domínio comportamental, uma vez que, o potencial inato é fisiológico e os aspectos funcionais são comportamentais. São estes comportamentos que, definidos por Grossman (1983: 157, cit. por Vieira e Pereira, 2003: 43) como “a eficácia ou o grau com que o indivíduo encontra o padrão de independência pessoal, responsabilidade social esperada para a sua idade e grupo cultural”, ajudam a criança a adaptar-se às situações quotidianas.

Assim sendo, para se ajudar uma criança a estabelecer a sua autonomia pessoal e social e a desenvolver-se da forma que lhe é mais conveniente é necessário traçar um quadro de comportamentos adaptativos que se adeqúem às necessidades e potencialidades da criança.

O Marco, no ano em que entrou para a instituição, foi sujeito a uma avaliação diagnóstica pela equipa da mesma, a partir da qual se elaborou um quadro de comportamentos adaptativos (CA), apresentado no Quadro 4, que serviu de base à elaboração do primeiro plano educativo individual do aluno (PEI), que foi implementado ao longo de três anos, e posteriormente foram sendo elaborados outros com a mesma durabilidade.

Comportamentos adaptativos 1996 / 1997

Comportamento/Atitudes

-É irrequieto, faz birras, chora quando contrariado;

-Dificuldade de concentração nas tarefas;

-Durante a noite o sono é tranquilo;

-Tem sempre o dedo indicador na boca (mão sempre molhada);

-Não controla a sucção da saliva.

Linguagem

-Compreensão oral muito baixa;

-Dificuldades articulatórias;

-Geralmente omite a 1ª sílaba ou consoante inicial nas palavras com 3 ou mais sílabas;

-Não articula o “l” (inicial e no meio da palavra) e isolado;

-Não articula o “b” (inicial e no meio da palavra) e isolado;

-Não articula o “r” (inicial e no meio da palavra) e isolado;

-Não articula o “c” trocando-o por “ch”;

-Não articula o “lh” trocando-o por “nh”.

Autonomia Pessoal

-Não sai de casa sozinho;

-Não sabe onde mora;

-Não se veste, calça ou despe sozinho;

-Não se lava sozinho;

-Não usa o garfo e a faça;

-Não controla os esfíncteres (diurno e nocturno).

Autonomia Social

-Não se relaciona com os colegas de escola;

-Relaciona-se bem com os pais;

-Dificuldade em relacionar-se com pares e adultos;

-Apresenta bastante timidez.

Percepção Visual

-Grandes dificuldades em discriminar “figura de fundo” e realizar exercícios mesmo muito simples, de orientação e de organização espacial, fazendo crer por vezes que não consegue entender o que se lhe pede.

Percepção Auditiva

-Grandes dificuldades na discriminação de pares de palavras: não faz “identificação fonética” nem “síntese auditiva”.

Cognição

-Aponta e nomeia 4 das 7 imagens que observou durante algum tempo;

-Indica somente 1 das 7 palavras que escutou;

-Discrimina formas simples e encaixadas no espaço adequado (circulo, triangulo, quadrado);

-Agrupa objectos pela cor;

-Não nomeia qualquer cor;

-Não realiza cópia de palavras, letras nem de grafismos;

-Não repete frases nem relata factos;

-Não tem noção de frente – trás – cima – baixo – meio – esquerda – direita;

-O desenho da figura humana é muito rudimentar.

Motricidade Global

-Marcha com auto-controlo mas desorganizada;

-Dificuldades em manter a direcção da marcha sobre uma linha traçada no chão;

-Lança bolas com muito pouca precisão;

-Dificuldades no salto a pés juntos para a frente;

-Dificuldades no equilíbrio estático;

-Não segue o objecto em movimento;

-Não imita movimentos com o braço no ar;

-Realiza traçados no papel orientados mas com muitas paragens e pouco controle direccional;

-Os repasses de traçados verticais e horizontais são ainda muito rudimentares;

-Aponta em si algumas partes do corpo;

-Raramente mantém o lápis sobre uma linha de base.

 Comportamentos adaptativos no ano de entrada na escola de educação especial.

 

No ano lectivo em curso, após ter trabalhado para superar as dificuldades identificadas e dado as diferenças, positivas, registadas, o Marco encontra-se a trabalhar com um novo plano de intervenção, baseado num novo quadro de comportamentos adaptativos.

Comportamentos adaptativos 2005 / 2006

Comportamento/Atitudes

-É um aluno calmo e raramente se irrita;

-Desenvolveu a capacidade de concentração nas tarefas;

-Durante a noite o sono é tranquilo;

-Por vezes, ainda coloca o dedo indicador na boca;

-Controla com dificuldade a sucção da saliva.

Linguagem

-Compreensão oral mais evoluída, embora nem sempre se expresse bem;

-Apresenta menos dificuldades articulatórias;

-Raramente omite a 1ª sílaba ou consoante inicial nas palavras com 3 ou mais sílabas;

-Não articula o “l” (inicial e no meio da palavra) e isolado;

-Articula o “b” (inicial e no meio da palavra) e isolado;

-Não articula o “r” (inicial e no meio da palavra) e isolado;

-Articula o “c”;

-Articula o “lh”.

Autonomia Pessoal

-Não sai de casa sozinho;

-Faz o seu próprio pequeno-almoço;

-Dificuldade em cortar as unhas;

-Sabe onde mora;

-Em casa liga o acende o fogão e trabalha com todos os electrodomésticos;

-Não tem dificuldade em trabalhar com uma T.V., vídeo, DVD e entende o seu funcionamento;

-Veste-se, calça-se e despe-se sozinho;

-Lava-se sozinho;

-Usa o garfo e a faça;

-Controla os esfíncteres.

Autonomia Social

-Relaciona muito bem com os colegas de escola;

-Gosta de brincar/conviver com os colegas;

-Relaciona-se bem com os pais;

-Dificuldade em relacionar-se com alguns adultos;

-É um aluno mais extrovertido, mas ainda apresenta alguma timidez.

 

Percepção Visual

-Apresenta ainda algumas dificuldades em discriminar “figura de fundo” e realizar exercícios mesmo muito simples, de orientação e de organização espacial, fazendo crer por vezes que não consegue entender o que se lhe pede;

-Em determinadas actividades ou tarefas o aluno gosta de escolher a sua posição/localização no espaço, de forma a facilitar a sua percepção visual.

Percepção Auditiva

-Apresenta poucas dificuldades na discriminação de pares de palavras;

-o aluno ouve/entende a maior parte da informação que lhe é dada;

 -Faz “identificação fonética” e “síntese auditiva”.

Cognição

-Aponta e nomeia imagens que observou durante algum tempo;

-Dificuldade em indicar palavras que escutou (indica 3 em 7);

-Discrimina formas simples e encaixadas no espaço adequado (circulo, triangulo, quadrado);

-Agrupa objectos pela cor;

-Nomeia qualquer cor;

-Copia palavras, frases e textos simples;

-Sabe a sua idade e escreve o seu nome completo;

-Entende a explicação da maior parte das tarefas;

-Lê palavras, frases e textos simples;

-Conta até 30/40, por vezes confunde-se quando escreve;

-Ordena frases simples;

-Identifica imagens e associa a palavra à imagem;

-Faz somas e subtracções sem transporte;

-Repete frases, contudo não relata factos;

-Completa conjuntos sem dificuldade;

-Não tem dificuldade em trabalhar com o computador;

-Tem noção de frente – trás – cima – baixo – meio – dentro - fora, mas confunde: esquerda – direita;

-O desenho da figura humana é muito rudimentar, mas mais avançado do que no inicio.

Motricidade Global

-Marcha com auto-controlo;

-Não tem dificuldades em manter a direcção da marcha sobre uma linha traçada no chão;

-Lança bolas com alguma precisão;

-Não tem dificuldades no salto a pés juntos para a frente;

-Realiza o salto a pés juntos para trás, mas apresenta algumas dificuldades;

-Apresenta menos dificuldades no equilíbrio estático;

-Segue o objecto em movimento;

-Imita movimentos com o braço no ar;

-Adquiriu novas habilidades motoras: pontapear, lançar, puxar, saltar, gatinhar, correr, etc.;

-Os repasses de traçados verticais e horizontais são menos rudimentares;

-Aponta em si algumas, a maioria, das partes do corpo;

-Participa em situações de jogo satisfatoriamente (confunde-se quando aumenta o grau de dificuldade e o número de jogadores);

-Faz habilidades motoras de motricidade fina (ex. enfiamentos).

 Comportamentos adaptativos definidos pela escola de educação especial.

 

Apresentamos apenas o seu primeiro e último quadros de comportamentos adaptativos, uma vez que são os que nos permitem visualizar a evolução do aluno ao longo do seu desenvolvimento.