Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

Docentes Especializados Marginalizados

Como foi possível que a actual equipa ministerial da educação de um Governo - que se diz PS, ainda por cima - tenha conseguido  "correr" com os docentes mais experientes (por isso, mais próximos da reforma) da educação especial/apoios educativos perante o silêncio quase generalizado de todos os analistas e críticos da educação neste país, inclusive dos próprios docentes em questão!?...

Foi realmente um crime perfeito, porque não deixou rasto!... A verdade é que ninguém falou do assunto! Os pais dos alunos são na sua esmagadora oriundos de extractos populacionais carenciados e com níveis de ilectracia enormes!... Os próprios sindicatos nunca se preocuparam muito com um subsector do ensino como é – e sempre foi – a educação especial!...

Recordo quer os sindicatos como organizações de massas só se preocupam com as maiorias e a educação especial/apoios educativos é um tema minoritário, bem como o número de profissionais que envolve.

Não é de estranhar que mesmo sindicatos afectos à FENPROF se tenham referido às  defuntas ECAE(s) com epítetos do género "patrões dos professores de apoio" e expressões quejandas!...

Por sua vez, os representantes das associações de  Pais que souberam dar eco à voz de alguns profetas da educação especial, deram corpo à ideia posta a circular dos custos elevados dessas equipas, sem qualquer contraditório!... A verdade é que foram exterminadas sem qualquer avaliação. Isto por um Governo que não fala de outra coisa senão da avaliação, como se nela estivesse a panaceia que vai resolver toda a crise do sistema educativo português!!...

Como é possível um Sistema de ensino afirmar-se quando os seus profissionais mais qualificados numa determinada área, como é o caso da educação especial, não estão a leccionar nessa área para a qual adquiriram, obviamente com muito esforço, qualificações, tendo sido praticamente obrigados a "regressar" à sua escola ou  Jardim, isto para não serem prejudicados no tempo de serviço para aposentação, no caso dos docentes vinculados ao 1º Ciclo e ao pré-escolar.  Que país é este?...

Aproveito para salientar ainda um outro aspecto mais chocante e que se prende com o facto do próprio Secretário de Estado, o já (tristemente) famoso Valter Lemos ter referido numa entrevista – logo no início deste desgraçado mandato que reconhecia a falta de docentes especializados numa área tão problemática como esta da educação especial, ao mesmo tempo que punha em causa a formação dos professores
nesta área!...

Claro que aqui já estava um indício da "declaração de guerra" que viria seguir!

A pergunta que se impõe creio que só pode ser uma, associada a duas outras, digamos que, sub-questão: - QUE PAÍS É ESTE QUE SE DÁ AO LUXO DE PRESCINDIR DOS SEUS DOCENTES MAIS EXPERIENTES NUMA ÁREA TÃO SENSÍVEL - E ATÉ COMPLEXA - COMO É A EDUCAÇÃO ESPECIAL? - A QUEM INTERESSOU O AFASTAMENTO DOS DOCENTES MAIS EXPERIMENTADOS NA ED. ESPECIAL? - Como é possível que as pessoas com responsabilidades a nível da Direcção Geral da Inovação e Desenvolvimento Curricular, que creio continuar superintender a educação especial  mantenham um silêncio sobre este escândalo?...

O próprio Conselho Nacional de Educação (2º creio) não se interrogou sobre este assunto, nem sobre a "morte" das ECAE(s) ?...

Autoria: Sousa Craveiro (Professor)

Data: Novembro de 2006



 

2 comentários

comentar artigo