Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

Portugal

A Importância da alimentação/nutrição na população com deficiência

A alimentação de indivíduos, crianças ou adolescentes, com multideficiências pode seguir os princípios de uma alimentação saudável e ter como principal objectivo satisfazer as necessidades nutricionais da faixa etária de interesse e procurar promover a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida possíveis.

 

Um dos principais aspectos a ter em conta, é o correcto aporte de cálcio pois é essencial no desenvolvimento correcto de ossos, músculos e dentes. Este tem como principais fontes o leite e os derivados contudo, pela frequência de alergias e interolâncias existentes em várias doenças raras (por exemplo, na Cornélia de Lange) poderá ser necessário optar por outras fontes (leites sem lactose) ou eventualmente suplementar.

 

As alterações na conformação da face podem perturbar a correcta mastigação e deglutição, daí a compreensível necessidade de passar a comida. Este método tem vantagens na medida em que é possível combinar uma série de alimentos, fontes dos diversos macronutrientes, mas tem a desvantagem de reduzir o aporte de fibra proveniente dos hortofrutícolas. Se a obstipação se tornar um problema grave, poderá ser necessário fornecer fibra em suplemento ou procurar triturar também, por exemplo, a casca da fruta lavada (no caso da maçã e da pêra).

 

O elevado stress metabólico a que o fígado está sujeito, devido à toma de medicamentos, sobrecarrega as suas funções de desintoxicação pelo que é importante minimizar a ingestão dos nutrientes que obrigam a trabalho extra. Pode ser benéfico reduzir o fornecimento de alimentos ricos em gorduras saturadas (carne vermelha, gorduras como a manteiga) e de colesterol, sendo preferível, fontes proteicas de fácil digestão e absorção (carnes magras, peixe desde que não haja alergia ou intolerância, ovo cozido).

 

Aconselha-se também um aumento do consumo de antioxidantes, promotores das defesas naturais do corpo, por exemplo na forma de sumos de fruta naturais sobretudo dos frutos vermelhos desde que sejam bem tolerados. Além desse aspecto nutricionalmente interessante, são particularmente saborosos.

 

É igualmente necessário ter em conta um regime de refeições regulares e equilibradas, evitando largos períodos de tempo sem comer ou refeições muito volumosas. Assim facilita-se o bom controlo metabólico e a integração da alimentação saudável na vida do jovem.

 

Com a colaboração: APNEA – Associação dos Profissionais de Nutrição e Engenharia Alimentar – Portugal

Web: http://www.apnea.pt/