Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

Hiperactividade - Breve Abordagem

 

“Capacidade reduzida de concentração, impulsividade e constante movimento”.

 

Definição / Causas / Diagnóstico / Medicação

 

A hiperactividade é uma doença que se encontra directamente relacionada com o comportamento: défice de atenção /hiperactividade.

 

Os sintomas da hiperactividade surgem antes dos 4 anos, intensificando-se até aos 7 anos de idade. A hiperactividade é mais comum no sexo masculino do que no sexo feminino.

 

As crianças hiperactivas são mais propensas a acidentes e à medida que vão crescendo tornam-se agressivas, revelando comportamentos anti-sociais, podendo inclusivamente apresentar uma baixa auto-estima.

 

Ainda não se sabe qual a causa desta doença, contudo presume-se que pode resultar de um imaturo desenvolvimento cerebral, ou de um desequilíbrio da actividade química do cérebro. Existem investigadores que se inclinam para uma predisposição genética (pais hiperactivos, com problemas psicológicos ou neurológicos), como causa desta doença, assim como a associam ao consumo de tabaco, álcool e determinados medicamentos.

 

Existe uma tendência para que os encarregados de educação, professores e educadores, considerem uma criança hiperactiva, quando esta demonstra comportamentos de indisciplina ou se esta é simplesmente faladora. Contudo a criança deve ser examinada por especialistas (pedopsiquiatra, pediatra e psicólogo), que efectuarão exames ao nível da visão, audição, memória e aptidão mental, assim como realizarão uma avaliação dos comportamentos da criança (em casa e na escola).

 

A prescrição de medicamentos deve ser efectuada apenas quando a criança entra na escola, e auxiliam-na ao nível da atenção, concentração, diminuição de movimentos compulsivos e melhoria da aprendizagem. Os medicamentos mais eficazes são os estimulantes, como o metilfenidato, a pemolina e a dextroanfetamina.

 

Características específicas

 

Características específicas da criança hiperactiva ao nível da atenção:

 

-         Falta de atenção;

 

-         Presta pouca atenção a pormenores;

 

-         Dá erros por falta de atenção;

 

-         Não conclui tarefas;

 

-         Distrai-se com facilidade;

 

-         Dificuldades de organização;

 

-         Esquece-se facilmente de actividades diárias;

 

-         Perde objectos frequentemente;

 

-         Satura-se de tarefas que exijam concentração; etc.

 

Características específicas da criança hiperactiva ao nível da hiperactividade / impulsividade:

 

-         É faladora e irrequieta;

 

-         Apresenta dificuldades em brincar sem fazer barulho;

 

-         Está em constante movimento;

 

-         Intromete-se e interrompe assuntos com frequência;

 

-         Enerva-se com facilidade;

 

-         Corre e trepa em locais impróprios e sem condições para fazê-lo;

 

Ensino-Aprendizagem

 

As crianças com hiperactividade deverão beneficiar de um processo ensino-aprendizagem organizado e estruturado em que encarregados de educação, professores / educadores e restantes técnicos se envolvam de forma a elevar as características cognitivas, motoras e sócio-afectivas do aluno.

 

A criança deve ser integrada no ensino especial ou no ensino regular consoante as suas necessidades e dificuldades. De qualquer forma, numa primeira fase a criança deverá frequentar uma sala de estimulação global (onde beneficiará de uma estimulação ao nível sensorial, psicomotora, etc.) e só posteriormente frequentar a escolaridade (onde numa fase mais avançada efectuará aquisições ao nível académico, de língua portuguesa, matemática, etc.).

 

 Estas crianças e jovens deverão em qualquer destas fases beneficiar de uma estimulação no âmbito da educação física, educação musical, informática, expressão plástica e expressão dramática, pois são áreas que contribuem para o desenvolvimento global da criança/jovem de uma forma mais harmoniosa.

 

 Os gabinetes técnico especializados também são importantes para auxiliar o desenvolvimento do aluno, se este necessitar de apoio psicológico (acompanhamento individual e sessões de dinâmica de grupo); terapia da fala (desenvolvimento da expressão oral); psicomotricidade (desenvolvimento da lateralidade, coordenação, etc.).

 

O processo ensino-aprendizagem deve estar organizado em função das necessidades do aluno, tendo em conta as suas vivências e experiências. Este deve ser delineado procurando desenvolver a capacidade de observação, atenção, memória, calma, concentração, autonomia pessoal e social, expressão, etc. Para além disto, deve auxiliar no desenvolvimento das habilidades e capacidades motoras, capacidade de trabalho individual e em grupo elevar a auto-estima e auto-confiança, assim como o respeito pelas regras sociais.

 

O aluno deve ainda, se possível frequentar uma actividade desportiva (karaté, natação, etc.) extra-escolar, ou outras no âmbito da expressão plástica, ou informática, de forma a complementar a aprendizagem das matérias escolares.

Autoria: Prof. Pedro Santos

Data: 2004

16 comentários

comentar artigo

Pág. 1/2