Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

A braços com a Loucura. Ou melhor... Ensaiando

XLI

A investigação... Como forma de alargar horizontes e conhecimentos... Fascinara desde sempre Pedro... 

Com ela... Aprendera imensas coisas que não sabia... Desde sempre... Desde a sua infância... Quando escarafunchava horas a fio... Na biblioteca da freguesia ou da colectividade...

A magia de uma palavra... Frase ou texto... Pela simples transmissão das ideias mais actuais ou mais antigas... Pensamentos... Emoções e valores... A partilha de métodos e de experiências... Ideologia... Querer e viver... De um ser para o mundo... Na frescura das cabeças que em brasa... De tão concentradas e atentas... Absorvem todo o conhecimento disponibilizado...

Um dos espaços intervencionados pelo docente... Foi na sala onde estava a fotocopiadora...

Mais uma vez... Movimentou discentes e colegas... No intuito de a pintar e restaurar...

Como esta sala se situava à entrada da escola… O professor pensou que seria ideal para criar uma espécie de portaria... Mais estruturada e digna...

Nesse local ficaria João… Sentado a uma secretária... Desenvolvendo actividades no âmbito da sua área vocacional... Isto é... Ao nível da portaria e moço de recados...

Na mesma sala… E por detrás de um balcão… Ficaria Teófilo... Tirando fotocópias e realizando diversas actividades no computador…

Ideias que Pedro foi amadurecendo com o restauro do local e com o contributo dos restantes colegas de trabalho... Não fosse esta... A base do trabalho de equipa... Onde todos participam e opinam... Onde todos podem e têm o dever de interferir...

Neste espaço... Para além da portaria... Organizou-se um centro de recursos para a educação especial... Destinado aos técnicos e pais dos alunos... Concentrando livros acerca das temáticas ligadas à deficiência...

Também se reuniram outros livros usados... Entre todos... Funcionários... Alunos e comunidade... No sentido de montar uma biblioteca ao serviço de todos...

A biblioteca municipal cedeu algumas obras... Assim como uma papelaria local... Até nisso houve participação da comunidade envolvente...

As bibliotecas cumprem um papel de extrema importância no desenvolvimento da cultura de todos.... Para além disto... Também contribuem para o aperfeiçoamento das capacidades cognitivas... Motoras e sócio afectivas dos alunos...

A criação do centro de recursos surgiu no sentido de auxiliar o processo ensino aprendizagem... Tendo como principais objectivos proporcionar uma melhor qualidade de ensino... Responder às necessidades dos alunos... Técnicos e encarregados de educação... Incutir hábitos de leitura... De consulta e de pesquisa...

No que concerne ao funcionamento... Possibilitava a aquisição de competências de bibliotecário e auxiliar de assistente administrativo...

Com a ajuda de Luz... Teófilo aprenderia a tirar cópias e a gerir o espaço... Trataria da requisição dos livros ou outros materiais... Por outro lado... João teria um posto de trabalho mais cómodo... Mesmo à entrada da escola...

Com a ajuda das oficinas… Nas áreas vocacionais de carpintaria... Reparação e manutenção… Fizeram-se prateleiras em madeira… Que foram medidas… Cortadas e lixadas… Por fim montadas... O resultado foi muito além do esperado…

Teófilo organizou os livros com o auxilio do professor… Um enorme catálogo… Que se resumia a uma capa com separadores… Organizados em temas... Banda desenhada… Juvenis… Ciências.. Escolares… E mais…

Num nível à parte… Ou melhor… Num móvel próprio… Pedro criou uma biblioteca cientifica… Composta de materiais e livros acerca da deficiência e problemáticas associadas...

A maioria destes materiais foram arranjados através de cartas e ofícios batidos no computador por Teófilo… Dirigidos a instituições… Organismos… Como o ministério da educação… Direcção regional… Institutos e organizações de deficiência... Editoras e entidades da área… Que posteriormente João foi entregar no correio...

A verdade é que a maioria respondeu… Chegaram embrulhos com livros… Estudos e relatórios… Cassetes de vídeo e DVD… Entre outras coisas…

O professor foi dos que mais desfrutou com as novas aquisições… Explorando-as à minúcia...

Isto… Deu-lhe mais uma ideia… Que acabou por partilhar numa reunião… A de criar… Naquele centro de recursos… Um centro de estudos… Onde se realizassem pequenas investigações… Observações e registos… Estudos de caso… Assim como algumas publicações de sensibilização… Informação e esclarecimento… Dirigidas aos pais e à comunidade envolvente…

Com o tempo… Começou a organizar-se mensalmente… Um boletim informativo dirigido aos encarregados de educação e a todos os que o quisessem ler… Uma folha grande dobrada ao meio… Sob a coordenação de Pedro e com a redacção de Teófilo…

Cada mês abordava-se uma síndrome ou uma problemática… Ou simplesmente… Uma experiência ou forma de intervenção… Com uma linguagem acessível a todos… Ou pelo menos à grande maioria...

A distribuição era gratuita... A cargo de João que entregava o boletim a cada pessoa que entrasse na instituição… Por vezes repetidamente…

De vez em quando… Criavam-se grupos para realizar uma arruada e distribuir o periódico… De modo a possibilitar uma melhor integração e participação social...

Ao longo do ano lectivo… Fez-se também um blog… Organizaram-se palestras e até acções de sensibilização… Na verdade… Eram autênticas acções de formação ou cursos… Mas Pedro… Nunca teve coragem de assim as denominar… Realizaram-se grupos de apoio e partilha entre pais… E muitas actividades mais…

Luz fazia a supervisão destes dois alunos… Assim como o próprio professor… Formatados para uma nova função… Mais importante e útil...

As tarefas passavam por bater documentos… Organizar papeis… Fazer recados e tudo o que fosse realizável por estes...

Com o trabalho no centro de recursos… Teófilo foi aprendendo a ser mais rápido no computador… Por vezes bloqueava e desmotivava-se… Exclamando repetidamente:

- Não consigo! Não consigo!... Isto é difícil! Isto é difícil!...

Nessas alturas… Lá estavam Luz e Pedro para o encorajar… Animar e reforçar…

Alguns pais passaram a ser mais próximos do colégio… Contudo… Eram sempre os mesmos a participar nas sessões de esclarecimento e acções… Organizadas por Pedro e Júlia...

Até chegaram a dar formação a professores e funcionários de outras escolas de alunos com deficiência… Com a ajuda de PowerPoints e outros suportes… Filmes realizados no colégio… Entre outros...

O centro de recursos passou a ser mais um ponto de encontro onde os alunos passaram a estar nos intervalos… Para conversar… Ler livros ou ver as suas imagens… Visualizar filmes… Em suma… Passou a ser mais um local de entremetimento… Espontâneo e enriquecedor…

Por sugestão de Ramos... Começaram a desviar-se jornais e revistas do café local… Com um ou dois dias de atraso… Claro que... Com autorização da gerência...

Era tocante observar... A pose que alguns começaram a adoptar naquele espaço... Silenciosos e concentrados... Intelectuais leitores... Virando páginas com classe... De perna cruzada e pescoço hirto... A imitação de um comportamento social comum e trivial... De simplesmente… Ler ou fazer que se lê… Um jornal…

António Pedro Santos

(Continua)...