Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

A braços com a Loucura. Ou melhor... Ensaiando

LI

Nos intervalos… Os alunos distribuíam-se pelo recreio… Um espaço pouco amplo… Contudo… Comprido…

No hall principal do primeiro piso… Havia uma zona maior… Coberta… Que dava acesso a algumas salas… Nomeadamente as de estimulação global... Alguns gabinetes e acesso… Através das escadas… Para o ginásio e sala da direcção… Uma espécie de polivalente…

Aí… Juntavam-se alunos… Haviam alguns bancos… mesas e cadeiras… Para conversar e conviver… Alguns ouviam música… Outros dançavam… Enfim… O local era agradável e tinha sido muito valorizado… Desde que se realizaram as obras de embelezamento na escola…

Nesse local... Dora… Irene e os alunos… Tinham pintado nas paredes… Uma espécie de pátio… Com portas e janelas… Vasos e flores…

Pedro contemplava o espaço...

Maura dançava com Sarita… Raquel com Fábio.. Sempre colados… Luís e Roberto experimentam passos de dança mais modernos… Alguma coisa que talvez tenham visto na televisão…

- Parece uma discoteca! – Exclamou Carlos… Aparecendo por trás de si… - Se tivesse luzes… Bolas de espelhos e colunas… - Enquanto isso… Acompanhava as suas palavras com movimentos cadenciados… Ao som da música…

Subitamente… Sónia abalroa Pedro… Abraçando-o e soltando-o de imediato… Olhando-o à distância com admiração… Como se tivesse sido um acidente…

Leontina e Saudade… Circulavam pelo recreio… Vigiando os alunos…

O professor estudava a área ao pormenor…

Relativamente à iluminação… Constatou que tinha uma luz maior central e mais quatro pequenas em cada canto… A sala era ampla e apenas tinha uma porta de acesso… Isto é… Com luz natural… Fácil de fechar e de escurecer…

- Anda Andreia! – Ordenou Saudade… - Puxando a aluna de perto de Pedro… Que este nem sequer tinha dado conta… Mas… Já estava agarrada ao seu braço… O professor fez-lhe uma festinha…

- Anda comigo! - Ordenou Pedro… - Traz o Luís… O Roberto e o Virgílio… O João e o Mário!

- A onde? – Indagou Carlos…

- Vamos à minha sala!... – Afirmou… Dirigindo-se para lá… - Temos trabalho a fazer!

- Popêeee! – Gritou Sónia… Ao vê-lo partir… Evidenciando algum desespero… Num choro abusado… Rouco e demasiado sonoro…

Andreia… Pendurada em Saudade… Batia as palmas das mãos… De uma forma dura e mecânica… De sorriso armado… Emitia sons agudos… Pequenos gemidos de alegria e de contentamento…

Ao lado uma da outra… Com sentimentos e expressões diferentes… Uma a chorar… Outra a sorrir… Por motivos iguais… Enfim... Tão diferentes manifestações de sensações… Emoções e vivências…

Alegria... Tristeza e raiva... Medo... Ou afectos basicamente puros e primários...  Vultos de comunicação...

Pedro explicou aos alunos que iriam transformar aquela sala numa discoteca… Uma notícia que caiu em grande…

Rapidamente começaram a aparecer sugestões… A maioria dispendiosas e fora de alcance… Mas o professor sabia bem o que fazer…

Com Dora e Irene… Decoraram o chão da sala com reflectores… Reaproveitados de vários tipos de materiais… Como coletes… Triângulos… A maioria agrupados num enorme rectângulo… Que era a pista de dança…

As quatro lâmpadas que estavam nos cantos foram cobertas com plástico colorido… Que dava um efeito muito bom… Ao longo da sala… E para não desperdiçar a pintura das paredes… Colocaram-se umas luzes no chão… Que permitiam ver partes da pintura… No lado contrário… E em cima… Umas luzes de natal suspensas… Atravessavam a parede…

Dora… Ainda conseguiu aproveitar um espelho partido… Que os alunos fizeram em pedaços e posteriormente colaram numa câmara de ar de uma bola… Suspensa ao centro… Girava e reflectia… Luzes… Cor e muito ambiente…

Para além disto… Distribuíram-se quatro colunas de som… Três suspensas e uma no chão… A um canto…

Quando terminaram... Parecia um espaço de diversão nocturna… Algumas mesas e cadeiras… Bancos e música… Carlos ainda teve a ideia de colocar uns leds que piscavam… Muito pequeninos e fracos…

Os alunos desfrutaram do local e os funcionários também…

Pedro dançava com quase todas as alunas da escola…

No escuro das emoções… As luzes alteadas… Alteravam os corpos e as mentes para lá de si mesmas… Passos de dança inovadores e jamais tentados… Inundavam a pista com a coragem de outrora…

Filipe dançava com Maura… Cristina com Bebé… Carlos com Sarita… A um canto… Os clones moviam-se de uma forma mecanizada… Fábio apertado por Raquel… Desfrutava do momento… Carrapito e Samuel estavam mais tímidos… Mas desejosos de começar…

Ramos pedia a Patrícia para dançar… Mas esta fugia-lhe… Luís e Roberto… Inventavam… E deixavam que o corpo se expressasse… Hélio batia as palmas das mãos assustado e Zé… Contemplava o espaço à distância… Completamente abismado…

Virgílio estava na porta com Mário… Como se fossem seguranças… Rosa e Cláudia estavam por perto… Mas estes não pareciam estar a fim de dançar… Ao contrário… Ramos levava mais uma nega… Angela dançava com Ronaldo e Ilda assistia com João… Que tinha de a ouvir...

- Não danças Teófilo? – Questionou o professor…

- Tenho de dançar?... Tenho de dançar? – Replicou… Eu não sei!... Eu não sei! – Exclamou de braço erguido…

O professor sorriu e levou-o ao centro… Entregou-o nos braços de Cristina… Que afinal fazia sempre… Dois passos para a esquerda e dois para a direita…

Teófilo… Segurando-a à distância e olhando para o chão… Acertou o passo… Afinal… O facto de ser tão metódico e prático… Conferia-lhe essa possibilidade…

Pedro ficou a dançar com bebé… Que sorria encantada… Com o seu boneco na mão…

- Com licença Bebé… Quero ver se este professor sabe dançar! – Disse Luz… Entrepondo-se entre os dois…

O professor sorriu e sem que esta esperasse… Puxou-a para si e dominou-a… Rodopiando pelo espaço com suavidade… De um modo agradável e fácil…

Luz seguia-o com leveza… Olhos nos olhos… Pedro perdia-se na profundidade dos seus olhos azuis… No calor das suas mãos e na firmeza das suas curvas… O docente conseguia sentir o cheiro dos seus cabelos…

Os alunos saudavam-nos e aplaudiam… O docente sentiu-se à vontade e ainda a encostou mais a si… O seu corpo estava quente e da sua boca emanava uma fragrância deleitável… Pedro sentia a sua anca e desejava-a…

Luz escapuliu-se e ele ficou só… Mas não foi por muito tempo… Pois… Rapidamente chegou Cláudia… Ainda que… Atrapalhada e com alguma vergonha… Quis dançar com o professor…

Luz já dançava com João… Como se lhe estivesse a dar lições… E nem sequer encarava Pedro com o olhar… Mas este procurava-a…

- Agora sou eu! – Afirmou Leontina… Agarrando o professor e dançando… Demasiadamente… Todavia… Agradavelmente perfumada… Encostou-se a Pedro sem pudor… Este ainda a tomou mais para si… A sua temperatura estava quente e as suas mãos ansiosas… Os seus seios esborrachavam-se no peito do docente… Enormes e apetitosos… Rodaram… Riscando a pista de um lado ao outro…

- Mais devagar!... – Pedia… Enquanto se apoiava no ombro de Pedro… Mas este… Tencionava ter prazer… Por isso rodava-a e aumentava a agilidade…

Virando-a e apertando-a para si… Trazendo-a e expulsando-a… Num gesto de grande intimidade… Leontina chegou a gritar…

Ao longe… Luz assistia… Carrancuda…

A canção termina e Pedro empurra Leontina.. Para que caia no seu braço esquerdo… Amparando-lhe as costas… De cabelos caídos… A sua colega fecha os olhos e apresenta o corpo descoordenado… Pedro aproxima-se quando esta abre os olhos e cria-se um clima… Por momentos… Pedro saiu dali e apeteceu-lhe beijá-la nos lábios… Imensamente carnudos… Leontina pressente-o…

Contudo… O enorme barulho dos alunos… Que assistiam à situação... Como se fosse um espectáculo… Acorda-os…

O professor ergue a colega e fazem ambos uma vénia à multidão… Que aplaude… Os olhos de Luz espetam-se nos corpos dos dois como facas… Imediatamente... Desaparece dali...

António Pedro Santos

(Continua)...