Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

Associação Educacional para Múltipla Deficiência

Criada por um grupo de 26 profissionais que atuavam há mais de dez anos com pessoas surdocegas e deficientes múltiplos em outro município. Visando expandir e implantar esse trabalho no município de São Paulo teve inicio com Atendimento Educacional e Domiciliar.

Desde 1994 realiza suas atividades na Rua Baltazar Lisboa, inicialmente no nº 212 expandindo para o ano de 2004 para o nº 216 e para o ano de 2012 para no nº 202.

Helen Keller foi uma pessoa com surdocegueira que se tornou uma cidadã internacionalmente respeitada por ter vencido as barreiras da comunicação, formando-se em diversas faculdades, comunicando-se em muitas línguas e destacando-se por suas qualidades como ser humano. Percorreu o mundo divulgando suas experiências de vida e motivando educadores a empreender uma luta em favor da pessoa com surdocegueira.

Em 1953, visitando o Brasil, deixou forte impressão numa professora de cegos, Sra. Nice Tonhozi Saraiva, que aceitando o desafio, buscou apoio e foi se profissionalizar na Escola Perkins nos Estados Unidos, passou a lutar quase de forma solitária, educando uma criança com surdocegueira nas dependências da Fundação Padre Chico, já procurando tocar outros profissionais. Não esmorecendo, viu o tempo se alongar, até que em 1968 surgiu a primeira escola para surdocegos, tendo duas crianças atendidas, no projeto com o nome de ERDAV, porém, acabou recebendo o nome de Centro de Recuperação Infantil Maria do Carmo de Abreu Sodré, hoje Escola de Educação Básica Anne Sullivan, que fica no município de São Caetano do Sul, no Estado de São Paulo.

O trabalho continuou crescendo, já com o empenho de outros profissionais, como a Sra. Neusa Basseto e Dalvanise Farias Duarte, chegando em 1974 com seis crianças. Por muito tempo recebendo apoio técnico do programa Perkins International e projetando para a América latina a experiência centenária da educação da pessoa com surdocegueira realizada na Perkins Schools Watertown Massachussets – USA.

As pessoas com surdocegueira e os pessoas com deficiência múltipla sensorial já não estão relegados. Começam a ter as primeiras experiências educacionais implantadas neste meio milênio de histórias do Brasil, contando com a luta e a incansável confiança destas pioneiras da educação especial, que com o tempo vem difundindo as técnicas, motivando novos educadores. Hoje com trabalhos reconhecidos na ADEFAV (Associação para Deficientes da Audiovisão), na AHIMSA (Associação Educacional para Múltipla Deficiência) em São Paulo, e também outras regiões, como Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia e Ceará.

Neste conjunto de esforços, atendemos a 240 pessoas com surdocegueira e pessoas com deficiência múltipla sensorial, ainda muito distante do ideal de educar as 87.071 pessoas com deficiência múltipla (conforme censo demográfico, realizado pelo IBGE, em 2000).

Desde a visita de Helen Keller ao Brasil, a semente da esperança foi lançada aos educadores, e já em corajoso desafio, vimos surgir estes empreendedores abnegados que tem se dedicado a estudar e aplicar diversas formas de comunicação, despertando o contato proveitoso com estas pessoas com deficiência.

“Anseio por ver Deus face a face. O Deus que eu conheço se chama verdade. Para mim, o único caminho certo para conhecer a Deus é a não violência (AHIMSA), o Amor”.

Este provérbio veio de encontro aos sentimentos vivenciados por um grupo de profissionais que acreditavam que a educação da pessoa com deficiência múltipla sensorial e da pessoa com surdocegueira é possível e que essas pessoas com deficiência geralmente têm qualidades de acolhida, encantamento, espontaneidade e verdade. Na sua fragilidade, eles têm o dom de tocar o coração e chamar a unidade e mostrar que toda pessoa, quaisquer que sejam seus dons ou limites, partilham de uma humanidade comum. Ela tem um valor único e sagrado e possue igualdade e os mesmos direitos que fundamentalmente são: a vida, os cuidados, um lugar, a Educação e ao trabalho, mas também o que mais profundamente necessita o ser humano amar e ser amado.

Os princípios do amor verdadeiro, perseverança e fé impulsionam desde 1991 este grupo que não mede esforços para tentar edificar este ideal, possibilitando ao profissional a liberdade de ação, expressão e o resinificar do aprender, e aos pais oferece a tranquilidade de conhecer como é o trabalho realizado e transparência na organização administrativa. Foi criada em 04 de março de 1991, sem fins lucrativos e com o objetivo de atender educacionalmente pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial.

A Ahimsa neste ano completou 32 anos de existência, é uma escola referência nacionalmente para o atendimento das pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial, recebendo para formação continuada profissionais de todo Brasil e América Latina, com estágios supervisionados de no mínimo de 40 horas.

Realizou em parceria com o Ministério da Educação por meio da antiga secretaria Nacional de Educação Especial e o Grupo Brasil de Apoio ao Surdocego, Formação de Professores nos anos de 2006, 2007 e 2008, criando os serviços de atendimento nas áreas de Surdocegueira e Deficiência Múltipla Sensorial em todos os Estados do Território Nacional, bem como possibilitou a formação de profissionais dos Pais Cabo Verde.

Oferece Assessoria Técnica nas áreas de Surdocegueira e Deficiência Múltipla Sensorial para diversas Secretarias Municipais e Estaduais de Educação.

Com a parceria do Perkins Internacional oferece um centro de Recursos on-line disponibilizando materiais e referências bibliográficas especificas traduzidas e ou elaboradas de forma gratuita para todo Brasil.

Colabora com a Secretaria Nacional de Direitos das Pessoas com Deficiência com parecer técnico em editais direcionados as pessoas com deficiência múltipla e surdocegueira, bem como ao Ministério da Saúde por meio do Conselho Nacional de Saúde. Organizou diversas formações com a Secretaria Estadual de Educação, entre elas, a primeira formação de Instrutores Mediadores para multiplicação dos Serviços.

Atua com os CEFAIs – Centro de Educação e Formação e Apoio a Inclusão, para avaliação de alunos e formações continuadas para profissionais, gestores e famílias.

Tem sua filiação e atuação junto a Rede Entre Amigos para divulgação, disseminação e formação na área de Direitos, Educação, Saúde e Trabalho da Pessoa com Deficiência, também atua na REBRATES – Rede Brasileira do Terceiro Setor com objetivo de Direitos e apoio as instituições perante as legislações vigentes e formações continuadas para Conselho Tutelar, Conselho da Pessoa com Deficiência e outros.

A Ahimsa já ganhou prêmios pelos seus serviços prestados, como Prêmio Casa da Revista Planeta Casa no Programa de trabalho com famílias na construção de equipamentos e mobílias em Papelão e PVC e prêmio da Secretaria Estadual de Direitos das Pessoas om Deficiência pelas Ações Inclusivas realizadas pela Instituição. A Ahimsa tem um Programa de Voluntários recebendo e formando ações com diferentes instituições, tem parceira com Fórum Estadual recebendo pessoas para cumprimento da Lei de penas alternativas e comunitárias.

Realiza com diferentes Universidades parcerias para estágios supervisionados e projetos inovadores, nos cursos de: Psicologia, Tradução e Interpretação, Artes Plásticas, Serviço Social, Arquitetura, Fonoaudiologia, Nutrição, Sesi, Engenharia, Terapia Ocupacional, Fisioterapia Design, Biomedicina, Educação Física, Educação, Publicidade, Jornalismo e Biblioteconomia.

Realiza em parceria com os cursos de Psicopedagogia Clinica e Institucional das Universidades: Estácio de Sá, Municipal de São Caetano do Sul e Anhanguera de São Caetano Estágio Supervisionado com atendimento de alunos da rede municipal na área de Dificuldades de Aprendizagens como estágio Supervisionado.

Atua com as famílias das pessoas com deficiência em serviços da área assistencial, para encaminhamentos de diferentes necessidades, apoio emocional e Empreendedorismo.

Realizou durante cinco anos parceria com Universidade São Camilo com estágio supervisionado de equipes de Nutrição de três meses cada equipe em diferentes serviços da área de Alimentação. Atuou junto ao SENAI para reformulação de cursos Profissionalizantes para pessoas com deficiência que não tem a certificação do ensino médio, na qualidade de Formação continuada. Realizou com o SENAI São Paulo o primeiro curso de Formação Técnica para pessoas com deficiência sem ter o ensino Médio, incluindo desta forma seis pessoas no mercado de Trabalho.

Teve diversas parcerias, entre elas: com o SENAC para formação de multiplicadores nas áreas de artesanatos para as famílias; com a CEFORT Centro de Formação Técnica na área da Saúde para estágios dos alunos de auxiliar de enfermagem e treinamento dos profissionais da Ahimsa para Primeiros Socorros; por 10 anos com a Arca do Brasil e Casa do Caminho lugares que abrigam pessoas com Deficiência para formação dos profissionais cuidadores; por 10 anos com movimento do Escotismo para inclusão de pessoas com deficiência múltipla sensorial, surdocegueira e autismo; e, com a província de Yena na Alemanha por meio do projeto da Comunidade Europeia por três anos (2005 a 2008), com vinda de estudantes do ensino médio para voluntariado e treinamento na língua portuguesa e na área de deficiência para retorno e escolha do curso superior.

Associação Educacional para Múltipla Deficiência

https://www.ahimsa.org.br/