Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

Educação Especial e Teoria Histórico-Cultural: Contribuições para o Desenvolvimento Humano

Educação Especial e Teoria Histórico-Cultural: Contribuições para o Desenvolvimento Humano

Exercício Físico e Saúde Mental

 

A saúde é o estado de bem estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou de incapacidade (OMS, 1948).

De acordo com a OMS, a saúde mental é um termo usado para descrever o nível de qualidade de vida cognitiva/emocional. A saúde mental pode incluir a capacidade de um indivíduo apreciar a vida e procurar um equilíbrio entre as actividades e os esforços para atingir a resiliência psicológica.

Os problemas de saúde mental mais frequentes são: a depressão; a ansiedade; as perturbações causadas pelo álcool/drogas; os problemas de sono; o cansaço crónico e os factores de natureza somática.

Como componentes da saúde mental, temos: a autoestima e autoperceções (componente avaliativa e autoconceito); o bem estar subjectivo (relativo à parte afectiva e cognitiva); o ajustamento emocional (numa perspectiva de equilíbrio emocional face aos factores de stresse); os estados de humor e os afectos (estados afectivos experimentados diariamente); stresse (com todos os seus factores); a função cognitiva (capacidade de aprendizagem, processamento de informação,...); os padrões de sono (onde existe um estado de consciência reduzida, assim como redução das funções sensoriais) e satisfação com a vida.

Podemos definir o autoconceito, como o conjunto de imagens acerca do que nós próprios pensamos que somos, o que pensamos que conseguimos realizar e o que pensamos que os outros pensam de nós e também de como gostaríamos de ser. Para além disto, podemos dividir o autoconceito em: académico (competências do indivíduo nos diferentes contextos académicos) e não académico (social, emocional e físico).

Para Marsh (1994) a autoperceção é a percepção que a pessoa tem em relação a si própria.

A autoestima é um sentimento valorativo do conjunto das nossas características corporais, mentais e espirituais que influenciam e formam a personalidade.

De acordo com Fox (1998) a autoestima é uma construção avaliativa global e relativamente estável que reflecte o nível para o qual o indivíduo se sente positivamente acerca de si próprio, por outro lado, considera o autoconceito como uma auto-descrição em vez de uma auto-avaliação.

As mudanças corporais resultantes da prática do exercício físico podem contribuir para uma melhoria efectiva do autoconceito corporal que cada um tem de si próprio. Isto porque, as pessoas que praticam actividade física acabam por realizar uma avaliação mais favorável, melhorando a sua competência desportiva, a sua condição e força física (confiança física), assim como a atracção corporal.

A relação entre o autoconceito físico e a autoestima é, na maioria dos grupos estudados, negativa refletindo a pouca importância que é ainda hoje dada, na sociedade portuguesa, à pratica regular de desporto e de exercício.

A actividade física regular está associada a imensos benefícios ao nível da saúde física e mental. Ao longo dos últimos anos, a prática regular de exercício físico tem sido reconhecida como uma alternativa não medicamentosa ao tratamento e prevenção de doenças crónico-degenerativas, promovendo a saúde e a sensação de bem-estar (Warburton, Nicol & Bredin, 2006) com benefícios evidentes tanto na esfera física quanto cognitiva.

O exercício físico é de extrema importância para a redução da tensão arterial; redução de peso e obesidade; redução da diabetes; proteção contra a osteoporose e enfraquecimento dos ossos; redução da doença coronária/cardiovascular, entre outros...

A prática do exercício físico pode contribuir para uma melhoria efetiva da saúde mental, no que concerne à capacidade de resistir às exigências da rotina diária, controle dos níveis de ansiedade, combate às depressões, construção da identidade pessoal, etc...

Estudos realizados na última década apontam para a existência de efeitos positivos da prática regular de exercício físico ao nível da saúde mental, em diferentes indicadores tais como os estados de humor, a depressão, a ansiedade, o stresse e a autoestima (Biddle, Fox, & Boutcher, 2000).

Os efeitos indiretos do exercício físico na saúde mental são: a melhoria da qualidade de vida e bem estar do indivíduo, assim como o desenvolvimento de um estilo de vida saudável preventivo de doenças.

Os efeitos diretos do exercício físico na saúde mental são: a prevenção/tratamento de desordens mentais; a melhoria do bem estar psicológico (estados de humor e autoperceções); a melhoria do funcionamento mental (gestão do stresse, sono e cognição) e melhoria do bem estar social (autonomia, interação e cidadania).

Prevenção das doenças mentais: depressão clínica (os efeitos do exercício físico são tão positivos como a psicoterapia); desordens mentais (os efeitos do exercício físico face aos acessos de pânico e ansiedade e esquizofrenia); ansiedade, pânico e fobias; desordens obsessivo-compulsivas; esquizofrenia e psicoses.

Estudos realizados sugerem que exercícios, nomeadamente os aeróbios, contribuem para a preservação da memória, qualidade do sono, humor, diminuem os níveis de stresse, combatem as doenças ligadas ao envelhecimento e ainda ajudam a controlar os sintomas de depressão e ansiedade. Os estudos também indicam que a prática de atividade física fortalece o sistema imunitário, diminui a dor crónica e melhora a atenção e concentração. Isto ocorre devido ao aumento de endorfinas (substância química que provoca uma sensação de prazer, euforia e bem estar) no sistema nervoso.

Esta sensação de bem estar provocada pelo exercício reflete-se diretamente na autoestima, ao nível social, profissional, espiritual, físico – conferindo perceções específicas da situação contextual do indivíduo.

Para além disto, o exercício físico também promove benefícios sociais, combatendo o isolamento e proporcionando integração do indivíduo.

 

António Pedro Santos

Desporto, Treino e Saúde - Portugal

https://sites.google.com/view/desportotreinoesaude/

1 comentário

comentar artigo