Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

educação diferente

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Educação Especial e Deficiência.

Pessoas com Deficiência

Trajetórias Sociais e Políticas

Educação física e deficiência visual

Convergências e possibilidades

Hipoterapia – Benefícios para a Saúde

A hipoterapia tem como principal objetivo promover o desenvolvimento do estado psicológico, físico e social do individuo, atualmente é muito utilizada para pessoas com necessidades especiais, como por exemplo deficientes físicos, atraso mental, autismo, etc A hipoterapia usa os movimentos do cavalo para desenvolver a capacidade do psicossocial, consistindo num método educacional que favorece a aprendizagem, socialização e o desenvolvimento global da pessoa.

Os efeitos terapêuticos com o cavalo têm sido descritos desde a época de Hipócrates (458-370 a.C.), que indicava a equitação como forma de regenerar a saúde. Os destinos do cavalo e do homem são inseparáveis. O cavalo foi utilizado como meio de conquista, de imigração, de transporte, de trabalho, de veneração e de crença, na mitologia, na fabricação de soro e vacina, no lazer e no desporto. Nos dias de hoje é dado um grande destaque como instrumento de reabilitação e educação.

A hipoterapia é muito benéfica para o desenvolvimento do individuo uma vez o cavalo origina movimentos tridimensionais (para cima e para baixo, para a esquerda e para a direita e para a frente e para trás) parecidos movimentos humanos, e este paralelismo favorece a construção da perceção destes movimentos. Traduzindo-se desta forma em benefícios do sistema vestibular, controlo de movimento, consciência do espaço, entre outros.

Objetivos da Hipoterapia

Proporcionar às pessoas com necessidades especiais físicas, mentais, visuais, auditivas e múltiplas, o seu desenvolvimento biopsicossocial, estimulando suas potencialidades, respeitando os seus limites e visando a integração e inserção social. Tem ainda como objetivo mais específico:

  • Proporcionar um bom equilíbrio emocional e corporal;
  • Facilitar a organização de esquema corporal do praticante e da sua orientação espacial; 
  • Desenvolver a estruturação temporal e o equilíbrio psico-emocional; 
  • Desenvolver e fortalecer funções psicomotoras e força muscular; 
  • Introduzir e reforçar aprendizagens pedagógicas; 
  • Estimular a capacidade de atenção, concentração; 
  • Desenvolver a autoconfiança e auto-estima; 
  • Estimular a autonomia, independência na condução e no interação com o cavalo; 
  • Integrar as famílias, possibilitando a troca de experiências, inclusão social e fortalecimento   dos vínculos familiares; 
  • Introduzir as noções básicas de equitação

Principais beneficios

Psicológicos 

  • Aumento da auto-estima, confiança e autonomia;      
  • Desenvolvimento da sociabilidade;
  • Diminuição da agressividade e intolerância à frustração.

Cognitivos

  • Aumento da capacidade de comunicação e interação das crianças, sobretudo no que se refere ao desenvolvimento das várias formas de comunicação sobretudo da verbal;
  • Contribui para a estimulação da concentração.

Físicos

  • Facilita o desenvolvimento do equilíbrio, da noção de espaço e postura;                                                                 ·         Favorece a tonificação da musculatura;
  • Melhora o tom de voz, o que facilita a pronúncia de palavras devido a uma respiração correta.

A quem de destina?

A Equitação Terapêutica revela-se um complemento terapêutico eficaz no tratamento de portadores das seguintes condições:  

  • Atrasos gerais no desenvolvimento neuropsicomotor. 
  • Atrasos mentais. 
  • Autismo. 
  • Síndrome de Down.
  • Espinha bífida.
  • Esclerose múltipla. 
  • Paralisias, hemiplegias e amputações.
  • Distrofia muscular. 
  • Traumas craneo-encefálicos.
  • Perda de mobilidade pela ocorrência de um AVC.
  • Distúrbios visuais e/ou auditivos.
  • Epilepsia. 
  • Reabilitação de acidentes.
  • Distúrbios emocionais, que podem englobar, perturbações alimentares, toxicomanias, sociopatias e psicomancias. 
  • Dificuldades de concentração, da fala, de aprendizagem e de comunicação.
  • Hiperatividade.
  • Problemas de adaptação social.
  • Reabilitação de estados de ansiedade, stress, e doenças psicossomáticas associadas tais como, a depressão e o luto. 
    Contraindicações da Hipoterapia

Antes de se começar um programa de hipoterapia é recomendado uma avaliação   de uma equipa de especialistas para definir o programa mais adequado. A hipoterapia não está indicada nos seguintes casos:

  •  coluna instável;
  • tumor na coluna;
  • deslocamento do quadril ou das primeiras vértebras do pescoço;
  • vertigens;
  • medo incontornável; entre outros.

in http://animaiscompanhias.blogspot.com/