Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

educação diferente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

PERSONALIDADE - Miguel Bombarda

Miguel Bombarda – Wikipédia, a enciclopédia livre

Miguel Augusto Bombarda (1851-1910), foi um dos pioneiros da psiquiatria em Portugal. Para além de herói da Republica, foi também um dos maiores responsáveis pela mudança, sobretudo, ao nível da abordagem da saúde mental em Portugal.

A sua formação ocorreu na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa - tendo inclusive, por essa altura, defendido uma tese acerca do "Delírio das Perseguições". Mais tarde foi professor nesta mesma escola, leccionando as cadeiras de Fisiologia e de Histologia. Desempenhou um importante papel no que concerne à reforma dos estudos médicos.

Foi médico do Hospital de S. José, director do Hospital de Rilhafoles, entre outros… Como médico dedicou-se principalmente às doenças do sistema nervoso, especializando-se em Psiquiatria.

Como director do Hospital de Rilhafoles, foi responsável pela sua reestruturação e reorganização - iniciou um curso livre de psiquiatria e promoveu o alargamento do Hospital, com a construção por exemplo do Pavilhão de Segurança, do Edifício de Enfermarias em Poste Telefónico, do Edifício de Enfermarias em U, dois enormes Telheiros para o passeio dos doentes, Oficinas para Doentes, etc…

Fez parte de várias instituições nacionais e estrangeiras, como: Conselho Superior de Higiene, Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais, Academia Real das Ciências Médicas de Lisboa, Conselho de Medicina Legal, Liga Nacional contra a Tuberculose.

Foi responsável por organizar o XV Congresso Internacional de Medicina, que se realizou na cidade de Lisboa (1906). Para além disto, publicou várias dezenas de volumes e cerca de meio milhar de ensaios, acerca de vários problemas clínicos, terapêuticos e sanitários e também acerca da Psiquiatria.

Em 1908 entrou na política, como deputado afecto ao então presidente do Conselho, Ferreira do Amaral. Contudo, as suas fortes convicções liberais e anti-clericais aproximam-no rapidamente da Junta Liberal, tornando-se um dos seus mais destacados dirigentes, e do Partido Republicano, a que adere formalmente pouco antes da implantação da República, sendo eleito deputado nas suas listas.

Miguel Bombarda foi um dos principais dirigentes da revolução republicana, com o especial encargo de proceder à distribuição de armas por grupos civis, estando prevista a sua participação no assalto ao quartel de Artilharia 1, em Campolide.

No dia 3 de Outubro, em Rilhafoles, Miguel Bombarda foi alvejado a tiros de revólver por um oficial do exército (antigo aluno dos colégios da Companhia de Jesus).

Transportado para o Hospital de S. José, foi operado, mas não resistiu à operação, entrou em coma e faleceu.

A morte de Miguel Bombarda provocou especial indignação junto do povo de Lisboa (para quem se tratava de um atentado reaccionário). A República organizou as suas exéquias, homenageando-o como um dos seus principais inspiradores.